28/04/2017

É engraçado como no Brasil o código de ética é elástico. Todos o defendem com firmeza, até que que tenha contrariado algum de seus interesses. Aí começam as manobras para contorna-lo, muda-lo ou aumentar o seu alcance. A distância entre o discurso e a prática é muito grande. Sem distinção de profissão, classe social, partido político, orientação religiosa, quando o interesse é contrariado vem logo o “epa!!,espera aí, meu caso é diferente”. Como exemplo mais recente temos as reformas que o Governo está tentando aprovar no congresso. As propostas são feitas e começam imediatamente a serem desfiguradas pelos interesses muitas vezes paroquiais dos parlamentares. Ninguém quer perder voto , dinheiro, ou prestígio. E ainda há os acomodados por ignorância ou conveniência. Os funcionários públicos, militares, aposentados, viúvas , políticos, sindicatos, agricultores, pecuaristas, professores, entidades de classe e o povo em geral, não são capazes de remar na mesma direção. Não há unidade de pensamento em relação a crise que passamos, nem ao combate a ela. Uns por se sentirem prejudicados há muito tempo, outros nunca conseguiram enxergar além dela, e outros ainda por serem seus causadores e estarem sendo beneficiados.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s