Tempo, carrasco impiedoso

Veloz altivo indiferente

Calma, que pressa é essa?

Tenha compaixão da gente!

 

Agora que tenho tempo

Para aproveitar a vida

Tu vens com esta desfeita

Acelerando a corrida

 

Trabalho ingrato esse teu

Envelhecer o novo, erodir o belo

Enrijecer as juntas

Tu és o próprio flagelo

 

Mas tens  também tuas glórias

Confortas perdas, desfazes melindres

Curas dores de amor, ou seja lá o que for

Ages por dever de ofício

 

Mas me permita caro tempo

Um pedido em meu  benefício

Em troca esqueço tuas maldades

Ficaria feliz se prorrogasses

Meu prazo de validade

 

AVP-25/04/2020

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.